segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

EX-PREFEITO DO ASSU


JOÃO BATISTA LACERDA MONTENEGRO, na intimidade BATISTA MONTENEGRO (foto), nascido na comunidade Rural do Rosário (Assu), hoje do município de Carnaubais, no dia 10 de março de 1935, filho do casal Manuel Pessoa Montenegro e dona Marieta Lacerda Montenegro, baseado em seus próprios escritos (do próprio punho), meses antes de falecer, Batista Montenegro, sintetizou um pouco de sua vida, começando pela sua origem, e também pelos seus estudos, dizendo que:

“Iniciei meus estudos aqui em Assu, com Dona Madalena e Maroquinha, indo logo em seguida para Natal, onde fiz o primário no Ginásio Sete de Setembro, daí fui estudar interno para fazer exame de admissão no ginásio no Colégio Salesiano na cidade do Recife, depois continuei a estudar no Salesiano, mas externo na casa do meu cunhado Brigadeiro Samuel Gomes, falecido há 60 dias no Rio de Janeiro a quem aproveito para fazer-lhe uma homenagem pelo trabalho que juntamente com o meu pai e outros colegas tantos serviços prestaram ao povo de Assu, na epidemia do impaludismo no meu entender o maior serviço que meu pai prestou ao povo de minha terra. Em seguida, Samuel transferido para o Rio de janeiro, fui morar com meu outro cunhado Dr. Manoel Montenegro Junior a quem devo a complementação de minha formação cívica e moral seguindo e vendo a sua conduta e procedimento durante 8 (oito) anos que com ele morei, concluindo aí os cursos ginasial e científico e de administração privada. Em seguida fiz o vestibular para medicina exatamente quando papai faleceu e vim para o Assu onde estou até hoje”.

VIDA PÚBLICA: 

Nos seus escritos, Batista Montenegro apenas deixa tópicos de como foi sua campanha, restringindo-se tão somente em dizer que sua candidatura surgiu do entendimento de amigos, do extinto MDB (Movimento Democrático Brasileiro), em cuja campanha chegou à vitória sendo Prefeito Municipal do Assu no período de 1969 a 1972 tendo sucedido a ex- Prefeita Maria Olímpia Neves de Oliveira (Maroquinha). Fala também da sua infância citando o seu clube preferido Botafogo, do Rio de Janeiro.

Da lista de amigos destacou: Neco, Pacó, Zezito, João de Maria Bencedinho, Douglas, Mainho de Ximenes, Albertino, Junior de Anderson, Zé Ximenes- Aléxis, Detonho, Coca, Zé de Giseuda, Nilo, Dr. Ezequiel, Batista de Eduardo e Papaichina, entre outros.
        
Falando de sua administração, citou nominalmente os nomes dos seus auxiliares: João Marcolino de Vasconcelos (LOU), João de Oliveira Fonseca, Francisco Guilherme, Albany Fernandes da Penha, Cornélia Dantas e Totó. Diz de suas dificuldades para governar e relata a valorização do servidor com a escolha do funcionário do ano tendo sido escolhido o Pinheiro (Ivo Pinheiro de Macedo, de saudosa memória). Fala ainda da perseguição política, da posição da Câmara Municipal radicalmente contra o seu governo, sem contar com a ajuda do Governo, diz da intervenção sofrida no seu Governo: Diz também que não perseguiu ninguém fazendo um governo sem ódio e sem rancor. Conclui dizendo ter se aproximado de todos pela conquista e pelos atos.

OBRAS REALIZADAS:

João Batista Montenegro em seus escritos fala de obras que foram realizadas no seu governo enumerando algumas como: Torre da TV na época para a Copa do Mundo (1970); Açude do Riacho; Central de Telefone na cidade; Telefone nas comunidades Rurais de: Olho D‘água, Banguê, Bela Vista, Simão, Trapiá, Boa Vista, perfuração de poços, recuperação e construção de estradas. Calçamento, Escolas, implantação do MOBRAL, Restauração do Matadouro, compra e ambulância, transportes para carne e para a coleta do lixo, Praça Francisco Amorim, criação da Biblioteca Palmério Filho, convênio com a Fundação SESP, dava assistência em Natal, Mossoró e Areia Branca a todos que necessitavam de tratamento médico nestas cidades. No esporte “Fiz do Assu campeão Estadual de Futebol de Salão”. Relata que incentivou o futebol de poeira, recuperação e iluminação da quadra de esporte do Centro Regional de Escoteiros do Assu, inclusive na fábrica de vassoura, citando ainda muitas outras obras que foram realizadas no seu governo.

JOÃO BATISTA MONTENEGRO deixou três filhos: Manuel Pessoa Montenegro Neto, Roberta Montenegro e Daniela Montenegro. (Fragmentos do JORNAL DO VALE).

Notas do Blog: São de autoria da Professora Sinhazinha Wanderley a letra e música do Hino do Assu. O então Prefeito João Batista Lacerda Montenegro oficializou. A Bandeira e o Brasão da Cidade, desenhos de João Marcolino de Vasconcelos (Dr. Lou) foi sancionado pelo Prefeito através da Lei no. 06/69. A administração de João Batista foi iniciada em 1o de fevereiro de 1969 até 1972.

1968 Eleições Municipais – O Ex-prefeito Arcelino Costa Leitão com sua mulher e prefeita Maria Olímpia Neves de Oliveira – Maroquinha romperam com o líder Olavo Montenegro para se aliarem a Edgard Montenegro sob sua liderança que, teve de apoiá-lo (Costa) como candidato a prefeito. Desta vez, pelo partido da Aliança Renovadora Nacional – Arena Vermelha, contra João Batista Lacerda Montenegro da Arena Verde, como era chamada no Rio Grande do Norte o único partido então existente no Brasil. Batista ganhou por apenas 26 votos. 

1969/72 – Assume no dia 01 de fevereiro de 1969, como o décimo Prefeito do Município do Assu, o Sr. João Batista Lacerda Montenegro, tendo como vice-prefeito eleito pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA), o Sr. Sebastião Alves Martins. (Lima, 2001; 82).

    A gestão de João Batista amargou uma intervenção durante vários meses. Inocentado das acusações, voltou ao poder para concluir o seu mandato. Foi nomeado interventor o Capitão Tavares da Polícia Militar. (Caldas, 1998, 25).

        A Câmara Municipal era composta por 10 vereadores: Maria Glória Ferreira Pessoa, Elias Moreira, Pedro Borges de Andrade, Ormando Machado, Luiz Tavares Cavalcante, Joaquim Siqueira Furtado, José Dijon de Oliveira, Francisco Batista de Souza, João Marcolino de Vasconcelos e Arnaud Abreu. (História da Câmara do Assu – Auriceia Lima, 2001).

Nenhum comentário:

Postar um comentário