domingo, 9 de junho de 2013

APELIDOS

O homem nordestino é acima de tudo um bravo. Sobrepujando todas as dificuldades sempre encontra um tempinho para deixar a marca inconfundível do seu jeito de ser. Qualquer amigo de bar, vizinho, colega de trabalho ou de escola está sujeito a pegar um apelido e muitas vezes morre e não se livra dele. Vão aí alguns apelidos sertanejos, com seus devidos significados:

Ø Cara de Cachimbo Cru – Individuo de feição grosseira.

Ø Olho de Vaca Laçada – Sujeito que costuma andar de vista baixa.

Ø Venta de Telha Emborcada – Pessoa que tem narinas dilatadas.

Ø Pé de Papagaio – Cidadão que tem o pé aleijado.

Ø Cabeça de Bater Sola – Individuo que tem a cabeça achatada.

Ø Boca de Biquara – Mulher de lábio muito pintados.

Ø Bunda de Tanajura – Mulher de ancas roliças.

Ø Cara de Milagre – Sujeito muito feio.

Ø Arroz Doce de Pagode – Pessoa que não perde festa.

Ø Carrapeta doida – Cidadão que anda irrequieto, as pressas.

Ø Cururu de Goteira – Individuo corpulento.

Ø Maracujá de Gaveta – Sujeito que tem a pele enrugada.

Ø Desertor de Cemitério – Pessoa que tem aspecto cadavérico.

Ø Papangu de Quaresma – Cidadão Abestado, mas metido a sabido.

Ø Boca de Moela – Individuo que tem a boca desdentada.

Ø Barriga de Soro Azedo – Menino barrigudo.

Ø Cabelo de Fundo de Mocó – Sujeito que tem cabelos ruivos e castanhos.

Ø Cara de bolacha preta – Cidadão que tem cara larga.

Ø Carnegão – Pessoa magra, alta e vermelha.

Ø Pau de Enrolar Tripa – Cidadão muito alto e magro.

Ø Orelha de Abanar Fogo - Individuo que tem orelhas côncavas.

Ø Venta de Tucano – Sujeito narigudo.

Ø Calunga de Botica – Mulher muito enfeitada e pedante.

Ø Venta de Bezerro Novo – Pessoa que tem nariz achatado.

Quem desejar pode enviar comentários com outros apelidos que serão divulgados.
Fonte: No Tempo de Lampião - Leonardo Mota. MEC – 1976.

Nenhum comentário:

Postar um comentário